sábado, 8 de maio de 2010

A pequena princesa.


Era uma vez uma pequena princesa que habitava um planeta pouco maior que ela, e que tinha necessidade de um amigo. Mas aquela princesinha tinha algo diferente, ela não era normal, era lerda de nascença e retardada de criação, não no sentido pejorativo da palavra, ela apenas tinha um jeito mongol ou passante de ser feliz.

Assim como a realeza, o seu reino era diferente de todos os outros já vistos. Lá portão era bambu, ternos eram quimonos, em vez de muros se usavam arbustos e todos os dias são ensolarados, mas não são escaldantes. As garagens são cavernas, brigas são romances, a centopéia é o trem e a mão alcança tudo que se deseja, é possível até tocar o céu.

Em seu mundo fios elétricos passando de poste em poste são galhos de frondosas árvores. Os hidrantes são nascentes. Televisão é um imenso aquário e todas as estrelas são cadentes e elas realizam os nossos desejos. As calçadas são imensos tapetes verdes, feitos de grama. O vento dança ciranda. O trânsito é um numeroso cardume de peixes palhaços e o mais importante: todo sonho anda.

Esse planeta que era o reino e o mundo da pequena princesa abrigava também um segredo, o segredo da felicidade da nossa menina com coroa na cabeça. Eis ele. É muito simples: só se vê com o coração. O essencial é invisível aos olhos.

3 notas:

Thamires disse...

ah, a criatividade de um coração sonhador... :]

(Lol@ - LGL) disse...

Adorei esse post! Não é a toa q ele foi parar no meu blog, com os devidos créditos, é claro! ;*

Fátima Babini disse...

O segredo da felicidade. Digno das grandes sonhadoras. ^^

Postar um comentário

Façam aqui suas notas de rodapé.